Novos e velhos tempos – O início da secularização

Percebo ultimamente um grande movimento por parte dos religiosos em manifestar em desespero posições, favoráveis a sensos que remetem a Idade das Trevas, coisa que há pouco tempo não víamos.

Temos desde bancadas religiosas perseguindo minorias até extremistas promovendo terrorismo. Vemos um sem número de outros vieses de pensamento derivados diretamente de povos primitivos.

Essas opiniões já existiam, claro, mas não se expressavam de forma tão incisiva, isso nos passa a impressão de que algo os incomoda, e profundamente, como se estivessem a perder sua orientação.

Em quase todo o mundo é imenso o número de igrejas que fecham as portas, única e exclusivamente pela escassez de membros, o que se evidencia ainda mais nas novas gerações. A religião nunca foi tão antiquada.

Muito dessas correntes deriva de se promover avanços tecnológicos destinados a melhorias na qualidade de vida e educação das massas. A conta é óbvia: Menos ignorância, menos religiões.

O fato é que, diferente do esperavam, o mundo a sua volta não está ruindo. Temos menos desgraças que nunca, até desastres naturais são amenizados graças a nossa inventividade. E isso os perturba.

Sinceramente acho insustentável essa fase de trevas, essa ‘Caverna de Platão’ que vivemos. A contento fica o fato de que em muitos países secularizados de verdade esse foi meio que seu suspiro derradeiro.