Doutrinação – A covarde coerção de menores na indústria do medo e das falsas expectativas!

Sou terminantemente contra a doutrinação de crianças. Levar crianças a cultos e afins é algo tão translocado que até os religiosos sabem disso. Geralmente há áreas de recreação com outras atividades, separadas das reuniões, voltadas para elas. Rapidamente se associa diversão com ir igreja.

Daí a começar a imitar gestos de seus pais seguindo os ritos, recebendo todo o pacote de crenças infundadas e medos irracionais, que acarretam nos mais temíveis preconceitos e intolerância, que fizeram e fazem inexoravelmente parte do processo de doutrinação é “do dia para a noite”!

Vejo a doutrinação de crianças (mesmo das maiores, como pré-adolescentes), como qualquer outro tipo de abuso psíquico, o que envolve desde induzir o consumo de entorpecentes, prostituição ou práticas criminosas. A chamada “educação religiosa” não é outra coisa a não ser a covarde coerção de inocentes.

Claro o estado poderia imprimir restrições a isso, como faz com o consumo de álcool ou cigarros, entretanto se ausenta da discussão. É deveras interessante notar como erguem aos brados a constituição para mostrar como este não pode se embaraçar com suas práticas, mas unicamente quando convém!