Quem pode falar do passado?

Arte (681).jpg

Anúncios

Regimes ‘ateístas'(?!)

É comum ver certos ignorantes, bobos ou apenas apedeutas em desserviço, apontando diversas atitudes repressoras presentes em regimes totalitários comunistas, dentre estes até mesmo genocídios, como que derivados do que descrevem como uma declarada “ditadura ateísta”. De onde tiraram uma bravata dessa categoria? Bem, vamos as pesquisas.

Levantes e Massacres por ideais revolucionários sempre existiram, derivados do choque de interesses políticos adversários, mesmo contraditórios, e como sabemos religião nada mais é que mero aparato de coerção de ordens político-sociais. Muitos mataram e morreram nesses embates de extrema provação, por todo o mote de ideais que sonhavam e construíam.

Acredite entre a Revolução Francesa e a Reforma Protestante não tivemos muitas discrepâncias, não nesse sentido. Eram ideais revolucionários e conservadores, previamente contraditórios em si, se chocando. Nesse ponto chegamos a uma interessante constatação: Ateísmo é por si só, sustentado por um mote de ideais políticos? Bom, evidentemente que não.

Nem o mais “cego” dos estudiosos políticos acham que os regimes totalitários comunistas, como o do revolucionário Mao Tsé-Tung, por exemplo, seguiam quaisquer obscuros “ditames ateístas”, meramente por regimes dessa natureza, terem combatido lideranças religiosas e proibido suas reuniões de maneira duramente repressora, até sanguinária.

Unicamente ignorando que ditadores comunistas, como o chinês em questão, também proibiram com a mesma sandice e violência, toda e qualquer entidade organizada, de grêmios estudantis a institutos acadêmicos, que pudesse representar de alguma maneira uma oposição a seu poder. Lutavam por concentração de poder, não contra ritos.